GT de Inclusão Social retoma atividades na PUC-SP

Grupo de Trabalho é uma iniciativa da Pró-Reitoria de Cultura e Relações Comunitárias (Pró-CRC).

por Redação | 20/08/2020 - 00h

O Grupo de Trabalho de Inclusão Social, iniciativa da Pró-Reitoria de Cultura e Relações Comunitárias (Pró-CRC), realizou no final da tarde de 17/8, sua primeira reunião online no ano de 2020.

Após a rodada inicial de apresentação dos participantes, incluindo docentes, funcionários e estudantes participantes de coletivos da Universidade, a profa. Myrt Thania de Souza Cruz informou sobre a implementação, por parte do Grupo de Trabalho de Saúde Comunitária, de um serviço de atendimento psicológico à comunidade negra e indígena da PUC-SP. “É um serviço, no âmbito da Clínica Psicológica Ana Maria Poppovic, voltado a atender as demandas da comunidade interna negra, com um olhar baseado no letramento racial, e que busca entender a temática racial como um recorte que produz sofrimento psíquico importante e precisa ser, de algum modo, trabalhado”.

Na sequência, a doutoranda Winnie Nascimento dos Santos, representante do Coletivo Neusa Santos, informou sobre a decisão da Universidade de conceder isenção de mensalidade para alguns estudantes da Pós-Graduação, no 2º. semestre de 2020. “A PUC-SP, desde 2017, já se posiciona pela inclusão de negros e indígenas na Pós-Graduação, com a reserva de 30% das bolsas para eles. Contudo estamos vivendo um momento de cortes massivos na educação e não havia nenhuma bolsa disponível, solicitamos então à Universidade uma nova política. Bolsas emergenciais foram pedidas, mas receberam negativas. Porém, recentemente, fomos informados que foi concedido aos alunos ingressantes do coletivo uma isenção da mensalidade durante 6 meses, a partir do qual poderão fazer juz às bolsas que forem sendo liberadas”, explicou a estudante.

O prof. Pedro Javier Aguerre Hughes, assistente especializado da Pró-CRC, responsável por coordenar a reunião, ressaltou o difícil momento que o mundo e a Universidade estão passando, e disse que a iniciativa da isenção aos estudantes é um esforço importante da Fundação São Paulo e da Reitoria, "em linha com um compromisso explícito pela inclusão de estudantes negras e negros na Pós e na Graduação". Também reconheceu a importância das pautas trazidas pelos coletivos e, de maneira geral, pelo GT, bem como o trabalho coletivo para sua efetivação.

Foram tratadas também pautas como o encaminhamento para a compra de livros de textos acadêmicos representativos da “literatura negra e de epistemologias que muitas vezes estão ausentes dos programas de ensino”. E o programa de empréstimo de computadores e fornecimento de pacote de dados para alunos com problemas severos de acesso à internet, para que eles possam acompanhar as aulas online. Essa iniciativa continua neste semestre com a breve distribuição de equipamentos aos alunos que fazem juz e se inscreveram com essa finalidade.

Por fim, a profª. Paula Peron, assessora da Pró-CRC, apresentou o aceite da Magna Charta Universitatum para a candidatura da PUC-SP, que agora passa a fazer parte desta Instituição, que reúne mais de 880 universidades de renome do mundo todo. Pauta-se por uma carta de princípios, como diversidade, inclusão, desenvolvimento cientifico, liberdade e autonomia na Universidade, em consonância com a ética que rege a comunidade puquiana. A docente também apresentou dados e noticiou a continuidade do projeto de Acolhimento Online para a comunidade, coordenado por essa pro-reitoria.

A reunião contou ainda com a participação do pro-reitor de Cultura e Relações Comunitárias, prof. Antonio Carlos Malheiros, que saudou os participantes e promoveu o encerramento da atividade. Os próximos encontros, em modo virtual, acontecerão por meio dos sub-grupos de trabalho e reuniões periódicas.

PARA PESQUISAR, DIGITE ABAIXO E TECLE ENTER.