Estudante de História narra experiência de trazer secundaristas à PUC-SP

Grupo de cursinho popular esteve no campus Monte Alegre, em 2/6

por Redação | 17/06/2019 - 00h

A estudante Naiara Silva do Nascimento, aluna do oitavo semestre de História, bolsista e militante em Cursinho Popular escreveu o texto abaixo para contar sobre uma atividade pedagógica realizada com vestibulando de um cursinho popular. Leia a seguir suas impressões sobre a experiência:

“No início do mês de junho, os alunos de História da PUC-SP trouxeram para uma atividade pedagógica no campus Monte Alegre a turma de vestibulandos do cursinho popular Educação Protagonista (EDUP). Localizado no bairro de Pinheiros, o projeto social do Instituto Maria Firmina oferece, desde 2017, aulas preparatórias gratuitas para o ENEM. Segundo a descrição no site da instituição: ‘Sua missão é proporcionar uma preparação pré-vestibular de qualidade e gratuita para alunos advindos de escolas públicas da região metropolitana de São Paulo’.

Entre a equipe voluntária que atua no EDUP, alguns dos professores pertencem ao curso de História da PUC-SP. Juntos, organizam todo ano – de forma independente – uma aula em campo na universidade, a fim de aproximar o contato direto entre Ensino Superior e seus futuros ingressantes.

Este ano, a nova turma, além de conhecer as instalações do campus, bateu um papo com o coletivo Da Ponte Prá Cá (dos bolsistas da PUC-SP) sobre formas de ingresso, políticas de permanência e cotidiano da periferia em instituições privadas de Ensino Superior. A conversa também trouxe para o debate a importância da presença da classe popular na construção de uma universidade que se pretende democrática, bem como, seu acesso urbano a regiões como o bairro de Perdizes e entornos.

Após o fim da discussão foi iniciada a atividade pedagógica. Em forma de gincana, na lógica da ‘Caça ao Tesouro’, os vestibulandos deveriam percorrer o campus atrás de envelopes (escondidos pelos alunos de história) com a cor do seu respectivo grupo. Cada envelope continha uma dica do próximo local aonde deveriam se dirigir, mas antes, era necessário responder a uma questão de história das provas de vestibular da PUC-SP. Ganhava o grupo que chegasse primeiro ao último local estabelecido pelas dicas. O objetivo da atividade era fazê-los assimilar o conteúdo apreendido em sala de aula, o que se mostrou um verdadeiro sucesso!

Trazer a turma do cursinho popular para aula em campo na PUC-SP foi iniciativa pessoal dos alunos de História, especialmente dos que lecionam no cursinho. Como ex-vestibulandos, conhecem as expectativas do ingresso no Ensino Superior, e assim, reforçam o acesso de secundaristas nesses espaços mesmo antes da aprovação no vestibular. O papel da PUC-SP é facilitar e ampliar este acesso procurando, sempre que possível, promover atividades acadêmicas e culturais de interesse dos secundaristas, tal como, fazer chegar convites da ponte pra cá.

Naiara Silva do Nascimento – estudante do 8º semestre de História, bolsista e militante em Cursinho Popular”

 

 

PARA PESQUISAR, DIGITE ABAIXO E TECLE ENTER.