PUC-SP inicia o projeto social de inclusão digital de idosos

Idealizado e executado pela Coordenadoria de Estudos e Desenvolvimento de Projetos Especiais, programa visa fortalecimento de vínculos intergeracionais

por Redação | 22/11/2022 - 00h

Em outubro, a PUC-SP iniciou o projeto social Inclusão digital de idosos como fator de fortalecimento de vínculos intergeracionais, idealizado e executado pela Coordenadoria de Estudos e Desenvolvimento de Projetos Especiais, sob a responsabilidade das profas. Silvia Borelli e Beltrina da Purificação da Côrte Pereira.

O projeto tem como objetivo sensibilizar velhos e jovens, tanto a respeito do processo de envelhecimento quanto dos conflitos e potencialidades contidos nas relações geracionais e intergeracionais, bem como nas alternativas de multiplicação de conhecimentos relacionados aos usos de dispositivos móveis (internet e aplicativos) visando o fortalecimento de vínculos intergeracionais.

A atuação será realizada junto aos 15 Centros de Convivência Intergeracional da cidade de São Paulo (CCInter), localizados nas Subprefeituras das regiões Cidade Tiradentes, Perus, Cidade Ademar, Campo Limpo, Jaçanã/Tremembé, M Boi Mirim (2 unidades), Freguesia/Brasilândia (2 unidades), Jabaquara/Parelheiros, Sapopemba, Itaquera, Butantã e Vila Maria/Vila Guilherme.

Com duração de 18 meses, serão beneficiados 2.550 idosos e jovens participantes dos Centro de Convivência Intergeracional – CCInter. Indiretamente, atingirá 3.960 idosos e jovens da população em geral, família da pessoa idosa e dos jovens, bem como seu grupo social ampliado e profissionais/gestores de diferentes áreas e serviços que envolvam cuidado, atendimento, promoção de autonomia, integração e participação da pessoa idosa na sociedade, assim como, as que atuam com o fortalecimento dos vínculos intergeracionais.

"A implementação do projeto nos territórios da cidade de São Paulo, especialmente nos mais vulneráveis, reforça o que há muito venho falando que sem solidariedade intergeracional não há velhice desejável nem sustentável. Aliás, o projeto só foi possível ser implementado com a solidariedade de vários colegas da PUC-SP, de diferentes gerações, por meio de doação de Imposto de Renda. Uma cultura que poucos conhecem, mas que é super potente para o desenvolvimento social do país, e, no caso do projeto, para promover a relação entre diferentes gerações, combatendo assim o ageismo, na base, fortalecendo os vínculos e afetos no seio dos territórios. As gerações vivem cada uma em guetos e precisamos nos misturar mais, sermos mais solidários, mais plurais e mais empáticos com o futuro de cada um de nós, afinal, o futuro é velho!. É claro que o mesmo vale para o próprio e imenso território puquiano", defende a profa. Beltrina.

Trajetória

Em 2019, o projeto foi aprovado pelo Grande Conselho do Idoso de São Paulo, recebendo selo de validação para receber financiamento via incentivo fiscais de Pessoas Físicas e Pessoas Jurídicas. Durante 2020 e 2021, participou da “Campanha 3+3 que Importam” para captação de recursos, desenvolvidas pela ADPI da Fundação São Paulo, conseguindo amplo apoio da comunidade interna e externa da PUC-SP.

 

Parcerias Institucionais

O projeto é patrocinado por mais de 100 pessoas físicas e pelas empresas:

LOGA S.A.
ITAÚ CONSIGNADOS S.A
ENGINEERING DO BRASIL
ELGIN INDUSTRIAL DA AMAZÔNIA

PARA PESQUISAR, DIGITE ABAIXO E TECLE ENTER.