PUC-SP rompe barreiras na inclusão de funcionários surdos

Profissionais que estão à frente das ações de inclusão na Universidade e funcionários surdos relatam os desafios e os avanços no dia a dia da comunidade acadêmica

por Redação | 01/08/2019 - 00h

Ao longo dos últimos anos, setores da PUC-SP e da Fundação São Paulo, mantenedora da Universidade, se mobilizaram para efetivamente inserir funcionários surdos na comunidade acadêmica. Em 2014, este trabalho, coordenado pela Divisão de Recursos Humanos e pela Derdic, instituição sem fins lucrativos, mantida pela Fundasp e vinculada academicamente à Universidade, que atua na educação, acessibilidade e empregabilidade de surdos e no atendimento clínico, se intensificou com a chegada de profissionais que iriam atuar na direção do campus Monte Alegre, que hoje conta com 28 colaboradores que se comunicam através da Língua Brasileira de Sinais – em todos os campi, são 67 no total. Mas como é o dia a dia em ambientes onde a maioria das pessoas é ouvinte?

O JPUC entrevistou profissionais que estão à frente das ações de inclusão na PUC-SP e também funcionários surdos que relataram os desafios enfrentados no trabalho e também em sala de aula, como estudantes dos cursos de graduação:

 

PARA PESQUISAR, DIGITE ABAIXO E TECLE ENTER.