Reitora participa de debate sobre tecnologia, educação e cultura no Sesc

Evento foi realizado em parceria da PUC-SP, Nic.br/Cetic.br e Sesc 24 de Maio.

por Redação | 24/04/2019 - 00h

A PUC-SP, o Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (Nic.br) e o Sesc 24 de Maio realizaram na última terça-feira (23) o ciclo Cultura, Educação e Tecnologias em debate, com a presença da reitora Maria Amalia Andery, do diretor do SESC-SP, Danilo Santos de Miranda, do diretor-presidente da NIC.br e professor do Departamento de Ciência da Computação da PUC-SP, Demi Getschko, e mediação da jornalista Adriana Couto.

 

Durante a abertura, a reitora da PUC-SP afirmou que apesar de a tecnologia estar presente em praticamente tudo, é necessário olhar muito além do mundo digital e saber que por trás destes avanços, está a ciência gerada nas escolas e universidades. Maria Amalia Andery fez uma crítica aos uso das redes na atualidade. “A tecnologia, que é essencialmente um produto para o bem-estar humano, para sobrevivência, hoje é um instrumento de dominação, nos tornam como robôs, quando analisamos, por exemplo, os conteúdos dos grupos de Whatsapp”. Segundo ela, a tecnologia se torna uma ameaça quando grupos utilizam as mídias para levantar questões que já haviam sido respondidas pela ciência, como se a terra é redonda ou se houve extermínio nazista na Alemanha “A única maneira de nos apropriarmos de tecnologias é compreender o que está atrás dela, compreendermos o comportamento humano, individualmente e em grupo, e tudo isso só será possível com educação”.

Já para Demi Getschko, a internet causou uma ruptura positiva e se tornou uma rede altamente aberta e inclusiva, apesar de apresentar efeitos colaterais. "A quantidade de ruído que você vai escutar é muito maior, porque tem mais gente falando, mas não fico preocupado em ouvir bobagens da internet, a priori. Eu ficaria preocupado se eu não ouvisse nada na internet."

Segundo o diretor do Sesc, Danilo de Miranda, educação e cultura podem ser valorizadas ao aplicar tecnologia, e esse é o grande desafio, inclusive para a entidade. "Cabe a cada um de nós saber utilizar a tecnologia como um meio político e social em função da realidade individual e coletiva".

 

Na segunda mesa do ciclo, o professor Fernando Almeida, docente do Pós em Educação: Currículo da PUC-SP e um dos idealizadores do evento, ressaltou a relevância das três instituições promoverem esse encontro. "PUC-SP, Sesc e Nic.br conseguem dar um caráter de um debate estratégico num país que têm se dedicado ao que é mais ralo da importância da cultura, da educação e da tecnologia.", ressaltou.

O ciclo contou ainda com a presença do filósofo francês Gilles Lipovetsky, que em sua fala inicial relacionou a tecnologia à sociedade moderna que, como ele mesmo a nomeou, é uma sociedade de hiperconsumo, e refletiu sobre o fato da felicidade e do bem-estar do ser humano estarem ligados e serem justamnete influenciados pelas novas tecnologias.  
 

PARA PESQUISAR, DIGITE ABAIXO E TECLE ENTER.