PUC-SP se torna signatária da Magna Charta Universitatum

Documento redigido em 1988 se tornou referência para os valores e princípios fundamentais das Universidades

por Redação | 10/08/2020 - 00h

A PUC-SP acaba de se tornar signatária da Magna Charta Universitatum, documento que se tornou referência para os valores e princípios fundamentais das Universidades. O texto foi redigido e assinado em 1988 por 388 reitores reunidos para o 900º aniversário da Universidade de Bolonha, a mais antiga instituição acadêmica da Europa. Nele estão princípios de liberdade acadêmica e autonomia institucional, como diretrizes para uma boa governança e autoconhecimento das Universidades no futuro.

Atualmente, 904 instituições de ensino superior de 88 países são signatárias da carta.

A autonomia universitária, tendo como princípio fundamental a liberdade de investigação, ensino e formação é um dos pontos que merecem destaque, afirma a chefe de gabinete da Reitoria, professora Mariangela Belfiore Wanderley. Ela também ressalta a indissociabilidade entre ensino e a pesquisa, de modo a responder com conhecimento produzido às demandas da sociedade, e explica a importância da PUC-SP se tornar signatária da Magna Charta. “A Universidade é um espaço de diálogo permanente, de recusa à intolerância, local de encontro entre professores e estudantes, de convívio, de acolhida à diversidade, à inclusão social. Estes são princípios caros e vivenciados pela PUC-SP, portanto a participação nesta associação representa um reconhecimento internacional importante para a Universidade”.

A aproximação da PUC-SP com a iniciativa da Magna Charta se deu por meio da mestra Tamires Gomes Sampaio, no início de 2019. Ela é a única representante estudantil na comissão internacional responsável pela atualização da Magna Charta Universitatum.

O processo para a PUC-SP ser aceita contou com a participação do assistente especializado da Pró-Reitoria de Cultura e Relações Comunitárias, professor Pedro Aguerre. A assessora da PróCRC, professora Paula Peron, também esteve na reunião para discutir sugestões das Universidades brasileiras para a atualização da Magna Charta.“Estabelecemos um diálogo com outros participantes do documento aqui no Brasil, tivemos reuniões, inclusive com um grupo internacional, fomos nos apropriando do processo de aceite e percebendo, com grande alegria, como a PUC-SP já faz, atua e existe seguindo os princípios éticos que estão colocados no documento”.

Por causa da pandemia, a assinatura presencial, que estava marcada para setembro, foi reagendada para os dias 16 e 17 de junho de 2021.

Para ler e saber mais sobre a Magna Charta Universitatum, acesse o site www.magna-charta.org.

 

 

PARA PESQUISAR, DIGITE ABAIXO E TECLE ENTER.